Política de entrada na Europa

by • March 20, 2008 • Docs, visto, Europa, Geral, iniciantesComments (7)5085

+
-


Print Friendly

* Volta e meia aparece notícias de brasileiros barrados na imigração da Europa. É Lisboa, Madri, Londres. Isso nunca é notícia nova, exceto aos desavisados. Mas uma regra sempre é certa: quem não deve não teme.
* Vôos com conexão é mais fácil? A questão é que todos os países em que você esteja fazendo vôo de conexão, eles são menos rigorosos, porque seu destino final é outro país. Exigem menos coisas, fazem menos perguntas. Mas, é claro, em tempos de crise pode ser que eles não estejam de bom humor…
* Então, prepare sua viagem para tudo sair certo: documentação, hotel, comprovantes… Também conta a apararência (nada de aparecer como um hippie dos anos 70). E deixe todos papeis e comprovantes à mão. Não adianta fazer de conta que não acontecerá com você.
* Mantenha a calma e não seja esbaforido ao falar na imigração. Não sabe falar inglês nem espanhol? Seja educado, mantenha a compostura, tente mímicas mas sem parecer um louco esquizofrênico. Peça para um amigo escrever uma carta de apresentação em inglês, sobre como, quando e quanto você vai ficar, gastar, visitar.
* Aqueles que querem viajar sem planos que se cuidem: a falta de comprovação de reserva em hotel pode ser um empecilho.
Vai ficar na casa de um amigo? Não esqueça de ter o endereço na mão. E a passagem de volta. Europeus (e americanos) têm um medo danado que você resolva ficar por ali.

Inglaterra não está dentro da Comunidade Européia, então as regras são diferentes.Ver:

http://www.consbraslondres.com/index.php?pagina=13&id=576

http://ukinbrazil.fco.gov.uk/pt/visiting-uk/

EUROPA – Espaço Schengen
INTEGRANTES: Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Itália, Islândia, Luxemburgo, Noruega, Países Baixos, República Tcheca, Hungria, Suécia e Portugal. Suiça e Noruega concordam em seguir as regras do acordo.

NÃO INTEGRANTES: Grécia, Chipre, Romênia, Bulgária, Antilhas, não são ainda membros de pleno direito do Espaço Schengen. Nos países não membros do tratado, poderá ser necessário um visto para entrar nesses países. (Essa lista vai mudando, a medida que os países vão aderindo à Comunidade Européia)

http://europa.eu/travel/doc/index_pt.htm

Não optantes: Reino Unido e a Irlanda (tem acordo de cooperação, mas não é membro).

* estadia por um período máximo de três meses
* a posse de um documento de viagem válido;
* a capacidade de demonstrar o objetivo da viagem;
* e a posse de meios de subsistência suficientes para o período de estada e para o regresso; (em geral, pelo menos 40 euros por dia – em dinheiro, traveller ou cartão de crédito – não esqueça que cartão de crédito precisaria de uma comprovação do limite de crédito).

* além disso, seu nome não deve estar referido no Sistema de Informação de Schengen para efeitos de recusa de entrada e não deve ser considerado como uma ameaça à ordem pública ou à segurança nacional dos Estados Schengen.

* Seguro-saúde, exigido pela maioria dos países.

Espanha, Itália e Portugal tem convêncio com o INSS – mas precisa ir até o INSS.

Portugal ainda pode pedir: comprovante de vínculo empregatício. Vide link do Site da Embaixada: # de documento comprovativo de vínculo laboral ou actividade profissional no Brasil (devidamente reconhecido em Cartório e autenticado no Consulado de Portugal na área de residência);
* França:não tem convênio com o INSS, tem que ter seguro-saúde obrigatório.

Para qualquer dúvida, sempre visite o site das Embaixadas, onde haverá dados atualizados.

Alemanha: http://www.brasil.diplo.de/Vertretung/…__bis__90__Tage.html

Leia mais: Matéria Jornal do Estado de São Paulo, publicado em 18 de março de 2008 - Cuidados para não ser barrado na imigração:
——————————

RESERVAS – Leve o comprovante da reserva da passagem aérea e da hospedagem – são exigências da maioria dos países do acordo de Schengen, e desejáveis no Reino Unido. No caso de intercambistas, não esqueça a carta da escola e o comprovante de matrícula do curso. Tereza Fulfaro, diretora Educacional da CI, recomenda que os estudantes informem-se sobre o destino antes da viagem. ”Alunos bem orientados eliminam 90% das chances de problema com a alfândega”, diz. Alguns países também pedem uma verba mínima diária, de acordo com o tempo de permanência. Na Espanha, por exemplo, a quantia é de 60 (R$ 155) por dia.
SEGURO-SAÚDE – Boa parte dos países do Tratado de Schengen exigem seguro-viagem internacional, com cobertura de 30 mil (R$ 78 mil).
PASSAPORTE - Quase todos exigem que o passaporte seja válido por pelo menos seis meses da data de chegada. A exceção é Portugal, que aceita o documento com validade por apenas três meses.
EXTRAS. Todos esses cuidados, no entanto, podem não ser suficientes para o agente de imigração. Por isso, procure colocar na bolsa o maior número de documentos possíveis que comprovem sua intenção de voltar para o Brasil.
Alguns exemplos: carteira de trabalho, carta da empresa onde você trabalha e carta-convite (no caso de congressos ou reuniões), além de extrato bancário ou comprovante do limite do cartão de crédito. Até mesmo passaportes antigos, com vistos para outros países, podem fazer a diferença entre ficar ou ser mandado de volta.
MESMO COM VISTO... Na hora de tirar o visto para os EUA, o formulário avisa: o documento não garante a entrada no país. Por isso, recomenda-se ter calma para responder às perguntas da imigração. E leve aqueles comprovantes de reserva, já citados acima.

TOPICOS RELACIONADOS
* Europa em linhas gerais
* Aos iniciantes
* Vacinas
* Seguro-Viagem

Share on Facebook
Pin It

Related Posts

7 Responses to Política de entrada na Europa

  1. Nicole says:

    Olá! Tenho uma super duvida que esta me tirando muitas noites de sono… Já perguntei há muitas pessoas, enviei email à consulados dos países europeus, mas ninguém me responde… Espero que você consiga me dar uma luz!
    Estou indo mochilar na Europa visitar uns amigos da minha época de intercâmbio e visitarei a Turquia de lá. Talvez eu saia da Europa mais vezes, dependendo das cias de viagem que arrumar pelo caminho. A questão é que acabei comprando a passagem de ida e volta num período de 108 dias, se não me engano, tendo em vista que não ficarei esse tempo todo na Europa e principalmente tendo em conta minha viagem à Turquia que pretendo comprovar com passagens tb compradas e carta convite de uma amiga… Será que isso será um problema na hora de entrada? O que mais eu poderia levar para comprovar que não é minha intenção infringir nenhuma regra e ficar mais tempo do que posso? Além disso, é possível eu fazer essas múltiplas entradas desde que nao ultrapasse 6 meses em um ano, certo? Ou teria um tempo mínimo necessário a ficar fora antes de retornar? Desde já, muito obrigada pela ajuda!!!

    ==============================
    Resposta à pergunta:
    Aparentemente sim, porque o tratado que isenta o visto para estrangeiros é para estadias máximas de 90 dias na COMUNIDADE, ou seja, não é por país, mas a Europa inteira. (países fora da comunidade, como o Reino Unido, podem exigir diferentes comprovantes).
    Se você sair da comunidade européia nesse período, sim, não precisaria de visto. Mas o problema é que qualquer autoridade poderia lhe pedir o comprovante de transporte de saída da Europa.
    Na prática, usualmente não é solicitado o comprovante, mas isso depende de muitos fatores: sua fisionomia, seu aspecto geral, cor de pele (infelizmente), respostas gerais às perguntas (o que veio fazer aqui? limite-se a responder “turismo”, quantos dias vai ficar: invente um prazo curto, “três semanas”, com datas precisas; etc…)

  2. Lis says:

    Olá! É obrigatório entrada e saída pelo mesmo país na Europa? Vou viajar com um grupo em outubro, mas não voltarei com eles, vou estender minha viagem por mais uns 10 dias para conhecer outros lugares.Quero saber se posso comprar a passagem de volta depois de comprar a de ida, pois ainda não fechei meu roteiro pra esses dias pós excursão.
    Desde já agradeço.
    Lis.

    ===========================
    Resposta à pergunta:
    Não é obrigatório, pode sair por qualquer outro país.
    A passagem só de um trecho às vezes é mais cara que a ida e volta (sério). Além disso, alguma autoridade pode pedir para que você mostre a passagem de retorno. O que você pode fazer é comprar a passagem e depois mudar a destino e data da volta (cobram multa, por isso pesquise qual companhia cobra menor multa para alteração). Ou ainda você pode comprar uma passagem econômica cheia, isso quer dizer não promocional, pois aí tem menores taxas de troca. Apesar de custar mais caro, poderia compensar no seu caso. É mais barato do que comprar só ida e só volta separados.

  3. Marcos says:

    Pretendo fazer minha primeira viagem internacional em Out/11 (Londres, Bruxelas e Amsterdam). É possivel entrar na Europa por Londres e retornar ao Brasil por Amsterdam?
    ============================
    Resposta à pergunta:
    Sim, é possível. Basta que você faça a reserva com a ida por Londres e a Volta por Amsterdam. Sugiro que você compre a passagem o quanto antes, muitos vôos podem estar lotados agora. Evite saídas e retornos aos sábados. A KLM é uma das empresas que faz esse trecho e que você pode pesquisar no site.
    http://www.klm.com/travel/br_br/index.htm
    Selecione >> Múltiplos Destinos.

  4. Jader Andrade says:

    Por favor, gostaria de saber se posso transitar por Paris, interior da França e Londres (saindo de Paris) apenas com xerox?
    Grato

    =================================
    Resposta à pergunta:
    Xerox do que? Somente aceita original: Passaporte. Aceita Xerox: cópia do bilhete eletrônico, cópia do voucher do hotel.

  5. Caroline Abate says:

    Ola,
    Estou na Dinamarca ha 2 meses como turista e quero viajar para a espanha e ficar 3 meses lah. eh possivel?
    tenho a possibilidade de ir a inglaterra antes de entrar na espanha.
    como eh a regra do tratado de schengen?
    =============================
    Resposta à pergunta:
    Você só pode ficar na Europa sem visto por uma período de até 90 dias (3 meses).
    Acima disso, só com visto.

  6. Leonardo says:

    Oi,

    Tenho dúvidas que não tem muito haver com o tópico, mas por favor, se você souber me responder, agradeço.
    Bem…. tenho o passaporte brasileiro e o portugues, irei fazer uma viagem a Paris e estou confuso quanto a utilização desses passaportes, é minha primeira viagem internacional.

    - Na saída e na entrada do Brasil é preciso apresentar o passaporte brasileiro, não bastaria mostrar o RG?
    - Como possou a nacionalidade portuguesa, bastaria eu andar com a identidade portuguesa, ao invés, de carregar o passaporte portugues pra cima e pra baixo?
    - Caso positivo ao andar com o passaporte portugues, você me indicaria a tirar uma xerox dele ou andar com o original mesmo, no caso deixaria o original no cofre do hotel?

    ====================================
    Resposta à pergunta:
    RG apenas para viagens no Mercosul. Para sair do Brasil, é necessário um passaporte válido (pode ser de Portugal). No retorno, a única diferença é que você faria a entrada como estrangeiro, se não estiver com seu passaporte brasileiro.
    Para circular na Europa, será apenas necessária sua identidade portuguesa. Se o hotel for seguro o suficiente para deixar no cofre, poderá deixar seu passaporte lá. O importante é não carregar documentos importantes em bolsas, sempre carregando consigo, separado de dinheiro e cartões e outros papéis. É uma boa idéia ter cópia dos passaportes e carregá-los separadamente.

  7. Lis says:

    Jóia. Então, acho que já vou deixar comprada pela mesma empresa, e depois pagar a multa pra mudar… Pensei que era obrigatório sair pelo mesmo país por onde se entrou (não sei conde ouvi isso)…mas se não é, melhor.
    Obrigada!!!

Escreva um comentario

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Kyplex Cloud Security Seal - Click for Verification